Arquivo | maio, 2011

BELEZA, VERDADE, SABEDORIA

12 maio

BELEZA, VERDADE, SABEDORIA

As três Deusas

“A que religião você pertence?”
É uma questão pertinente
 em meu viver.
E me coloco,às vezes, reticente.
 
É tão grande o meu respeito
ao Deus dos outros que,
quase que continuamente,
os faço meus.
 
E, vejam só,
não me sinto inconsequente,
apenas sinto a Unidade do Deus Só,
que se apresenta em incontáveis aparências,
se manifesta em infinita variedade.
 
Posso dizer, são três as minhas devoções:
Amo a Beleza, a todo instante,
a cada dia,
com toda radiância que a envolve.
Dobro-me submissa à Verdade.
Busco enxergar o Sol da Sabedoria.
 
Por esses três caminhos
oriento a minha vida
sabendo-me claudicante
(claudicante, sim, mas nunca desistente)
neste exigente caminhar
de todo dia.
 
A Beleza,
feminina, envolvente,
disseminando encanto
ao seu redor.
Nunca recusa ao devoto
suas bênçãos.
Responde generosa a um convite.
 
Está  presente,
sempre pronta a se entregar
…no pequenino mal-me- quer do campo,
no beija-flor que surge a revoar.
Em frutos maduros
que recurvam os galhos.
Na criancinha,
que quase beija com o olhar.
Nos belos cabelos brancos da velhice.
Em cada jovem
que consegue   se enxergar
(há sempre algum que se se distorce
ao próprio olhar).
 
Ser um devoto da deusa Beleza
é possuir uma varinha de condão,
é transformar em encantamento
qualquer cantinho
que precise se encantar.
Mas, fique certo,
não é dela o primo passo.
Ela sugere, mas espera
o estender de nossa mão.
Muito cuidado,
ela é frágil, delicada,
qualquer descuido
ela pode se afastar.
 
Já a Verdade
é forte, avassaladora.
Costuma ser
constantemente recusada
– provoca muito medo a certa gente.
Não existe mais confiante construtora.
O que é firmado no alicerce da Verdade
não se corrompe
nem desaba em vendavais.
 
Se levantada
como escudo ou como arma
faz destruir impérios  e catedrais
…e plantações cuja semente
é só mentira ou deslealdade.
 
A Verdade não é sutil
como a Beleza.
No momento certo ela se impõe
Brilhando alto, acima da falsidade.
 
Por fim, por sobre tudo,
desponta a Sabedoria
que não concorda
em ser, nunca, esquecida.
É meta a ser conquistada
passo a passo, devagar.
Se não se impõe à força
também não se retrai.
E pode ser 
maravilhosa companheira de jornada.
 
No atual momento tenho-me dedicado inteiramente às exigências 
da deusa Beleza, tentando utilizar a minha varinha de condão
para organizar o meu cantinho, que precisa se encantar.
Gosto de dar a minha face ao lugar onde moro...a minha casa 
é uma extensão do meu jeito de ser...simples, alegre, confiante,
colorida...nem sei mais...O resto vem por acréscimo!
Feliz retorno para todos nós.

Um novo tempo…

11 maio

Após um rápido  recesso cuja razão foi a radical mudança no meu cotidiano, afinal mudei de endereço, de cidade e de astral, agora já posso assentar o pelo e…pensar! Por consequência, estou aqui, retomando o contato imediato de primeiro grau, com vocês.

Devo dizer que o meu coração está cantando aquela conhecida e maravilhosa canção:

Vê , estão voltando as flores
Vê, nesta manhã tão linda
Vê, como é bonita a vida
Vê, há esperança ainda
Vê, as nuvens vão passando
Vê, um novo céu surgindo
Vê, o Sol iluminando
Por onde nós vamos indo………….
 
 

No momento direi apenas isto, pois estou com um pouco de pressa, as atribuições têm sido muitas…mas voltarei sem muita delonga, há muita  coisa para dizer …