Tag Archives: Comunicação

COMUNICAÇÃO X INFORMAÇÃO

3 mar

…e pensar que já houve tempo em que a comunicação era difícil… Podem não acreditar, mas confiava-se até em pombos-correio. A informação também era escassa e tantas vezes anacrônica.

Não havia Animal Planet, ou Discovery Chanel, nem National Geografic, ou Google, etc.

Ou ainda a infinidade de publicações pretenciosas de satisfazer e alimentar a curiosidade humana em todas as direções para as quais ela se orienta.

Na sociedade do espetáculo, entretanto, há um inacreditável bombardeio de informações, de tal maneira que já não é necessário o esforço de buscar…

Tudo obedece à dominação da imagem que se impõe e tiranicamente submete (quase) todos à alienação da mídia deixando-os na suposição de que estão sendo "informados" e " esclarecidos".E poucos são capazes de pôr a cabeça fora do oceano devastador da sociedade de consumo que engolfa tudo e a tudo engole.

Não parece, mas houve tempo que não era assim… havia momentos solitários, próprios para pensar… refletir… descobrir…

Para alguns, isso pode começar cedo.

E A LUZ SE FEZ

Lá, bem atrás,
no tempo das maiores descobertas,
no tempo dos por quês…
Pouca ressonância externa,
a criança entregue à criança.

Olhos abertos…
O desejo de ver, de saber,
de compreender
…e o pudor de perguntar.
Os adultos são tão certos!
Tão sábios!
Tão distantes!
Como chegar perto?
Melhor calar…
e a si mesma responder.

Janela aberta
e o raio de sol
vem acordar a manhã
do quarto escuro.

Infinitos e pequeníssimos
grãos de poeira fazendo festa no ar.
Dançando, cada qual
em seu próprio passo,
numa harmonia sem par.

E a criança viu ali
todo o Universo a vibrar.
Estrelas, cometas, astros,
nebulosas e…planetas.
Por sobre o planeta, os homens.

A cada manhã, o susto
– o que parecia forte,
seguro, confiável, sólido,
desmedido, interminável
era apenas…uma poeira no espaço!

O raio de sol a iluminou
– diante da criança
a fragilidade cósmica
e a sua própria insignificância.

…e aí nasceu, na consciência da criança, o espaço para cultivar o cuidado com o planeta, a sua casa. E ficou mais fácil, à medida em que ia se desenvolvendo, reconhecer a imprudência de alimentar vaidades, prepotência, e "dores insuportáveis".

" Tudo que eu quero é um acorde perfeito maior
Com todo mundo podendo brilhar no cântico…"

(Caetano)

Anúncios