Tag Archives: Corujice

Um evento maravilhoso – COM UPDATE: FOTOS!

12 ago

Uma tarde-noite de se guardar com carinho:
7º Festival Canta Villa do Colégio Villa Lobos.

Eu, avó, platéia, buscando analisar, de forma crítica e sincera, o desenrolar do espetáculo.

Em dois horários – o vespertino, Categoria Infantil – acolheu os alunos até o 4º ano Fundamental – com crianças até 10 ou 12 anos.
O horário noturno comportava os adolescentes, dos 13 anos até os alunos do 2º ano Médio.Dentre eles ( e todos muito compenetrados

do papel que viviam), muitos artistas.

Seriam promessas de futuros profissionais da arte de cantar?

Não importa! O que realmente importa é este momento presente, pleno de entusiasmo e vontade de agradar.
A platéia, de pais, professores, colegas, amigos, parentes e simpatizantes (sem esquecer o júri), estava ali para valorizar o dom de um

momento especial…e ela, a platéia, cumpriu com muito gosto o seu papel.Muitas vezes chegou ao delírio nos aplausos aos seus favoritos.

Fala a avó, evitando ser ” coruja”: numa seleção prévia, João(10 anos), Sandra (13 anos) e Renato( 16 anos),foram aprovados, o que deixou a família muito feliz. Só isto já nos teria deixado satisfeitos, mas eles foram além e se viram entre os cinco primeiros colocados de cada grupo, com direito a troféu e à participação do CD comemorativo.É demais para o coração de uma avó “tiete”!!!

Dou a palavra a Jucemir, um amigo da família, que não esteve presente por motivos óbvios (mora no Rio de Janeiro) mas que participou “por tabela” ao escutar o relato que lhe fiz, com muito gosto e detalhadamente…

– Já me informaram do sucesso da tarde-noite. Johnnie errou – repetiu indevidamente um trecho da letra – mas olhou firme o maestro e segurou a peteca, e tu,[Sandrinha], injustamente ficaste em 5º lugar. Júnior americanizou-se , mas se saiu bem. O relato fiel de Corujavóvis foi tão colorido que a flor [atirada por Sandrinha,à platéia], acabou caindo… Imagine… no meu quintal.

Quem sabe eu esteja na platéia no próximo festival?

Os garotos estão pretendendo colocar, na internet, o acontecimento. Esperemos…

Impressionou-me , sobremaneira, a escolha do repertório. A MPB foi ovacionada em pérolas como:

* Amor pra recomeçar (Frejat) , defendida por João Arléo
* Tarde em Itapuã
* Sá Marina, defendida por Pedro Tupinambá – 1º lugar infantil
* Xote das Meninas
* É preciso saber viver
* Não deixe o samba morrer
* Aquele abraço/Trem das onze/O samba da minha terra/ Sangrando
* O bêbado e a equilibrista/ Sampa/ Wave
* Como nossos pais (Belchior), defendida por Ester Teixeira- 1º lugar
* Sonhos( Peninha), na voz de Sandra Hoisel Arléo

Renato cantou e tocou (no violão), a música ” Sweet child of mine”, com mais três colegas:Thiago Alvim, Everton Luiz e Luana Miranda, excelentes como vocais, flauta e guitarra.Ficaram com o prêmio ” DESTAQUE”.
A Luana também conquistou o segundo lugar (intérprete) com “Hurt”.

Preciso dedicar algumas palavras aos artistas “lá de casa”…


João esteve incrível no domínio do diálogo com o maestro, na ponta dos seus olhares significativos…Não perdeu, em nenhum momento, o controle da sua apresentação.A letra de Frejat, difícil, não o intimidou e, do alto dos seus dez anos mandou ver…e convenceu! Sério e concentrado, sempre.


Renato, se apresentando pelo segundo ano consecutivo, mostrou um grande progresso no domínio do palco, do violão, da relação com seus companheiros, e até com a platéia… As garotas adoraram! Ele estava “livre, leve e solto”…Um amor!

Sandra pisou o palco, pela primeira vez, aos oito anos, e já levou
“Prêmio Revelação”, hoje transformado em “Destaque”.
A voz de Sandrinha surpreende a cada vez que que ela canta. Desde pequenininha! É uma voz grave, inesperada, suave… mas forte! Alcança notas baixas com facilidade e firmeza.
Seu quarto tem uma prateleira só para os troféus, já em número de cinco! O seu domínio de palco é de profissional…se fica nervosa não deixa transparecer. Passeia pela cena com uma segurança e elegância desconsertantes para uma figurinha de apenas 13 anos.

Na música “Sonhos” que defendeu, o seu rosto, sua expressão, acompanharam cada fase dos sentimentos revelados pelos versos.
Leveza, serenidade…”tudo era apenas uma bricadeira que foi crescendo, crescendo…” E a suave surpresa ao ver um grande amor surgir…
Quase sorriu ao afirmar “uma mudança muito estranha” no seu jeito de se dar, “quando a canção se fez mais forte e mais sentida”,e um leve sorriso aflorou em seu rosto “quando a poesia fez folia em sua vida”. Mas uma sombra cobriu o seu rosto ao reconhecer o momento em que se vê substituída no amor do seu amor…
Daí em diante, apenas o conforto de saber que, no futuro, certamente as coisas serão melhores e a felicidade está lá, esperando. A voz perde o ligeiro tom de tristeza e desabrocha plena de esperança, já envolvida em um clima de serena alegria.
Foi lindo! A platéia compreendeu e reagiu à altura…Num gesto definitivo, o cravo que lhe enfeitava os cabelos foi retirado e jogado aos participantes da platéia. Delírio total! Danadinha a garota!

Todos os participantes, inclusive a banda e o violoncelo (Eugênio – músico da Orquestra Sinfônica da UFBa), que acompanhou Sandrinha em “Sonhos”, todos eles, merecem os maiores aplausos.

Foi uma noite divina, inesquecível.



O Colégio, como sempre, merecedor de parabéns… Valeu, Amarante!

Em tempo: Carmem Miranda foi a homenageada do evento. Muito bem escolhido!

Que venham outros eventos como esse… Que o Villa provoque uma reação em cadeia… Os jovens merecem! E nós também…