Tag Archives: Silêncio

FALAR… OU CALAR…

29 nov

Não sei se os meus queridos leitores já transitaram por Budapest, o livro.
Não o li, mas vi, em DVD, o próprio Chico lendo as primeiras páginas da sua história.
Fiquei intrigada com o personagem que escrevia seu romance na pele das mulheres que se envolveram com ele. Insólita idéia! Mas…refletindo melhor, onde são escritas as palavras a não ser no corpo, e sobretudo na alma, de quem as lê?

E a Palavra tem uma força estupenda!
Que tal uma experiência?

Você que me lê, agora, escreva em um dos seus braços a palavra VENENO… e no outro a palavra BÁLSAMO… e esperemos o resultado.

Seria delírio esperar da pele reações diferentes? Não creio!
Caso a pele não se expresse de maneira perceptível, provavelmente a alma o fará.

Teste novamente: de um lado a palavra BEIJO, do outro a palavra DESPREZO
O resultado será devastador!

Daí, imagino que, ser prudente no uso das palavras é sinal de Sabedoria.

Lao Tsé continua atualíssimo:
É preciso ser “ atento como o homem que cruza o rio em pleno degelo, depois do inverno”.
Ou ” prudente como quem temesse o seu vizinho”.

Tenho me dedicado, nesses dias, a “pensar” as palavras, e por isto reservo-me de escrevê-las.
A Palavra carrega em si o peso ou a leveza do seu mistério.
Quase repetindo J. Velloso, que disse: “Um beijo vale pelo que contém” , eu digo:
Uma palavra vale pelo que contém.

Palavra-adaga: golpeia, mutila…até mata!
Palavra-água: sacia, conforta, salva…ou afoga?
Palavra-unguento: bálsamo, alivia, acalma…ou vicia!
Palavra-guia: informa, aponta, orienta…ou desvia?
Palavra-algema: submete, imobiliza…acorrenta!
Palavra-guizo: alegra, festeja, liberta…ou avisa?
Palavra-garra: caça, fisga, persegue, prende…Sufoca.
Palavra-gozo: inebria, embriaga, fascina, domina
…e toma posse!


Talvez, mais expressivo que a palavra seja o SILÊNCIO.
Permitam-me passear no silêncio, como diria Paulinho da Viola :

Silêncio, por favor,
enquanto esqueço um pouco a dor no peito,
não diga nada sobre os meus defeitos,
eu não me lembro mais quem me deixou assim…

Hoje eu quero, apenas,
uma pausa de mil compassos…
……………………………………………..
Quem sabe de tudo não fale,
quem não sabe nada se cale !
Se for preciso eu repito:
Hoje eu quero apenas, uma pausa de mil compassos…